Infraestrutura de IT

As principais diferenças entre backup e disaster recovery

As principais diferenças entre backup e disaster recovery

Quando dizemos a alguém que perdemos tudo o que estava no nosso computador, a pergunta mais óbvia que nos fazem é: “Mas tens backup dos arquivos?”. Se estivermos a falar de dados pessoais ou de dados armazenados num único computador, esta será a pergunta certa. Quando perdemos a informação de um computador, ter um backup de dados costuma ser suficiente para restaurar toda a informação. Contudo, quando se trata de uma empresa, um backup de dados não é suficiente. Quando a infraestrutura se danifica ou quando todos os dados se perdem, uma operação de disaster recovery é a solução para restaurar as operações de rotina da empresa. Um disaster recovery vai muito mais além do que um simples backup de ficheiros. No artigo de hoje, abordamos as principais diferenças entre backup e disaster recovery.

Armazenamento dos dados vs recuperação da infraestrutura

Os backups costumam ter uma periodicidade diária e dizem respeito às cópias dos dados do negócio para uma outra localização que não seja a estrutura da empresa. O armazenamento do backup geralmente é feito na Cloud. Já o disaster recovery, pressupõe a existência de um Recovery Time Objective, que define o tempo que o negócio consegue funcionar sem a sua infraestrutura de TI. Assim, num plano de disaster recovery deve haver pelo menos duas infraestruturas que permitam a replicação do sistema e que garantam as operações da empresa e a continuidade do negócio.

Planeamento

O planeamento dos backups é muito mais simples que o planeamento do disaster recovery, visto que apenas precisa de responder à questão: quais são os dados verdadeiramente importantes para o meu negócio? Já o disaster recovery precisa de saber quais são os pontos críticos da infraestrutura, quais  as prioridades de recuperação e de que forma se efetuam os testes de validação. O plano de disaster recovery serve para reduzir os riscos e o tempo de inatividade, através da garantia de uma duplicação de infraestruturas.

Recursos necessários

O backup precisa apenas de uma segunda localização para o armazenamento dos dados. O disaster recovery necessita de um ambiente de produção totalmente separado que contém a informação, mas que também tem em conta outras questões, como software, soluções de segurança, conectividade e recursos físicos.

Uma solução de disaster recovery é um processo muito completo que garante a proteção dos dados e a sua recuperação em caso de falhas. O backup faz parte do disaster recovery, mas é apenas uma das suas componentes. O disaster recovery é uma solução muito completa visto que além de copiar os dados também garante o seu restauro de forma eficiente em caso de desastres naturais ou falhas de infraestrutura. Este tipo de soluções tem como grande objetivo eliminar (ou pelo menos minimizar em larga escala) o tempo de inatividade de uma empresa devido a falhas.

A perda de dados numa empresa pode ser fatal, levando mesmo à sua falência. Além disso, uma empresa que veja os seus dados expostos terá a necessidade de recuperar a sua boa imagem e de recuperar a confiança junto dos clientes e demais stakeholders. Segundo a Gartner apenas 35% das pequenas e médias empresas apostam num plano de disaster recovery e são estas que mais facilmente conseguem atingir o sucesso. Assim, uma solução deste tipo é essencial para minimizar (e em alguns casos eliminar) os danos causados pela exposição de dados confidenciais.

 

RAAS é um serviço de disaster recovery totalmente gerido por equipa especializada e dá-he a possibilidade de recuperar um servidor virtual em segundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *