Dicas de segurança

Conheça as melhores estratégias de recuperação de desastres

Conheça as melhores estratégias de recuperação de desastres

Qualquer gestor de TI deve estar preparado para enfrentar possíveis desastres informáticos, garantindo uma recuperação rápida mesmo em cenários mais extremos. Um desastre pode ser uma falha geral de software, queda dos servidores, roubo de dados ou qualquer situação que comprometa a operação normal do negócio. Numa era em que estamos tão dependentes da tecnologia, é fundamental garantir que tem a solução adequada para recuperar de cenários de desastre. No artigo de hoje, apresentamos-lhe as melhores estratégias de recuperação de desastres!

Fazer um inventário sobre a sua infraestrutura de TI

A preparação da reação a um ataque ou desastre informático começa muito antes dele acontecer. O gestor de TI deve fazer um levantamento de todas as informações sobre o hardware e o software que compõem o sistema, como eles se relacionam e qual a probabilidade de haver falhas em cada um deles. Deve conhecer muito bem a sua estrutura de TI para diminuir o mais possível o tempo de resposta a um desastre.

Ter uma solução de backup automática

Os dados de um negócio são importantíssimos para o seu correto funcionamento e são o primeiro passo para qualquer plano de continuidade. O backup nada mais é do que uma cópia dos artigos importantes para o seu negócio. Assim, se o arquivo original se perder, tem uma espécie de “segunda via” que o irá salvar. É importante ter em conta que essa cópia deve ficar armazenada num local diferente do local original e deve manter-se num ambiente seguro. O backup garante que, independentemente da sua estratégia atual, continuará a ter dados seguros para que o negócio possa continuar de forma habitual. Atualmente, diversos vírus de computador são ameaças reais para as informações. Também existem cada vez mais ataques dirigidos para roubar dados. E, para piorar o cenário, nunca estamos livres de catástrofes naturais que podem destruir toda a infraestrutura de TI de uma empresa. Aconselha-se que a cópia dos seus dados seja armazenada na Cloud, pois deste modo poderá ter acesso instantâneo e a partir de qualquer lugar à sua informação. As soluções na Cloud são mais seguras que as opções tradicionais e são também mais económicas.

Defina responsabilidades no plano de recuperação de desastres

Quando o desastre acontece, é preciso saber o papel que cada pessoa vai desempenhar. Num momento de stress, o gestor de TI não deve perder tempo a delegar tarefas e a atribuir funções. Para que uma estratégia de recuperação seja bem sucedida, deve haver um ótimo trabalho de prevenção. É fundamental formar a equipa sobre os métodos a adotar em caso de desastre informático e cada colaborador deve saber que papel vai desempenhar no momento em que o desastre acontece.

Defina prioridades

É preciso verificar o quão tolerante o negócio é relativamente à perda de dados e à paralisação das atividades normais. A empresa deve começar por responder a duas questões fundamentais:

  • Quanto vai custar recuperar os dados?
  • Quanto tempo vai demorar a recuperar os dados?

Assim, com a resposta a estas duas perguntas, é possível definir o ponto de recuperação e o tempo de recuperação, que serão os pontos de partida para a definição correta de um plano de disaster recovery. O ponto de recuperação pode ser medido através da quantidade de informações que podem ser perdidas até que a empresa tenha que parar a sua operação normal. Este ponto indica o momento em que as informações precisam de ser recuperadas para que não exista paralisação da empresa. O tempo de recuperação define o momento, depois do ataque ou desastre informático, para que as operações normais sejam retomadas.

De seguida, a prioridade é definir quais são os dados que precisamos de recuperar. Esta etapa envolve muito mais do que bases de dados. É importante ter em conta os seguintes elementos:

  • Volume de dados que precisa de ser restaurado
  • Mapeamento das informações de acordo com a sua importância e sensibilidade
  • Número médio de utilizadores que têm acesso aos dados durante o processo de recuperação
  • Tempo para restaurar backups existentes
  • Sigilo das informações
  • Recursos de TI necessários para a recuperação

Utilize uma solução de disaster recovery

Estamos dependentes da tecnologia e não há como negar este facto. Apesar de estarem cada vez mais evoluídas, infelizmente ainda não existem soluções 100% seguras, pelo que os sistemas e as infraestruturas das empresas estão todos os dias expostas a riscos de natureza humana, riscos de falhas mecânicas e riscos de catástrofes naturais. Por esse motivo, é cada vez mais importante implementar uma solução de disaster recovery que combine as políticas e os procedimentos necessários para garantirem a recuperação da informação e o rápido regresso à normalidade em caso de desastre ou ataque informático.  O RAAS é um serviço de disaster recovery totalmente gerido por equipa especializada e dá-he a possibilidade de recuperar um servidor virtual em segundos. Fale connosco e saiba mais sobre esta solução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *